Heranças Cantadas, Heranças Eternizadas

24 de junho de 2020


Hoje falamos da importância que as canções tradicionais infantis têm para as crianças e no seu desenvolvimento.

A música é considerada um meio de comunicação mundial. É benéfico no papel que desempenha desde o berço. Ajuda no desenvolvimento da comunicação oral, pois as crianças precisam de ter um motivo e/ou uma intenção ao comunicar.

Instintivamente, desde o nascimento, que a música tem uma ligação entre pais e filhos.

As músicas infantis fazem parte da educação das crianças. Adormecer, acalmar as crianças com músicas de embalar, brincar e interagir com músicas e rimas é uma prática no desenvolvimento. Uma ferramenta que consegue ser um aliado para a aprendizagem da língua materna, dando bases na educação infantil pela importância que a música traz, não só como entretenimento, mas no auxílio a aprender a falar, a ouvir e na coordenação motora.

É uma ferramenta que desde cedo auxilia a fala da criança, e é através de músicas infantis como “Doidas, doidas, doidas”, “Na quinta do tio manel i-a-i-a-ô! Há patinhos a granel, i-a-i-a-ô!”, onde as sílabas são rimadas e repetitivas, que as crianças relacionam palavras, sons e gestos que levam à melhoria da sua dicção, coordenação motora e perceção.

Podemos mesmo dizer que uma criança que vive em contacto com a música, ganha aptidões para conviver melhor em grupo e meios de comunicação mais amplos do que uma criança que é privada de música.

A música tradicional infantil dá-nos ferramentas que podemos utilizar durante o nosso desenvolvimento, tais como a aprendizagem e melhoramento da linguagem, a possibilidade de uma fácil memorização e ainda interage na forma de envolver comportamentos sociais e relações interpessoais. O ritmo e a letra da música despertam sentimentos que nos convidam a expressar.

Um dos principais alicerces da música é a criatividade. Ouvir música e dançar com a criança potencializa o seu desenvolvimento.

De acordo com Kokas, citado por Cruz (1995) “O canto é mais primário do que a linguagem (os primeiros sons de uma criança são mais próximos do canto do que de formas ulteriores de linguagem). É um utensílio apto a codificar e transmitir emoções, a criar relações emocionais.”

As canções tradicionais portuguesas infantis podem ser chamadas de companheiras de trabalhos e de vida do nosso povo português. Canções que retratam alegrias, dores, esperanças, incertezas, amor e fé. Exemplos como: “O nosso Galo é bom cantor”, “Olha à Bola Manel”, “Josézito”, “Na quinta do tio Manel”, músicas que nos retratam rotinas, atividades e sentimentos do povo português.

Porque recordar é viver nós relembramos junto das nossas crianças duas canções que tanto nos trazem boas recordações. Cabe a nós mantermos vivas todas estas músicas e sermos transmissores de tradições e recordações para as crianças.

Estas músicas acompanham-nos pela nossa vida, conseguem unir gerações, trazer recordações da nossa infância e criar memórias e laços com a geração futura. Por mais que estejamos numa era digital, a música vai sempre ser uma das nossas primeiras aprendizagens.

Obrigado ao Centro Social Paroquial dos Pousos, à Rita, à Margarida, à Victória e à Adriela.

Canta connosco e viaja pela tua infância e pelas tuas memórias.

Está na hora de trautearmos juntos. Preparado? 3,2,1… ouve-nos aqui.

Heranças Cantadas, Heranças Eternizadas

24 de junho de 2020


Hoje falamos da importância que as canções tradicionais infantis têm para as crianças e no seu desenvolvimento.

A música é considerada um meio de comunicação mundial. É benéfico no papel que desempenha desde o berço. Ajuda no desenvolvimento da comunicação oral, pois as crianças precisam de ter um motivo e/ou uma intenção ao comunicar.

Instintivamente, desde o nascimento, que a música tem uma ligação entre pais e filhos.

As músicas infantis fazem parte da educação das crianças. Adormecer, acalmar as crianças com músicas de embalar, brincar e interagir com músicas e rimas é uma prática no desenvolvimento. Uma ferramenta que consegue ser um aliado para a aprendizagem da língua materna, dando bases na educação infantil pela importância que a música traz, não só como entretenimento, mas no auxílio a aprender a falar, a ouvir e na coordenação motora.

É uma ferramenta que desde cedo auxilia a fala da criança, e é através de músicas infantis como “Doidas, doidas, doidas”, “Na quinta do tio manel i-a-i-a-ô! Há patinhos a granel, i-a-i-a-ô!”, onde as sílabas são rimadas e repetitivas, que as crianças relacionam palavras, sons e gestos que levam à melhoria da sua dicção, coordenação motora e perceção.

Podemos mesmo dizer que uma criança que vive em contacto com a música, ganha aptidões para conviver melhor em grupo e meios de comunicação mais amplos do que uma criança que é privada de música.

A música tradicional infantil dá-nos ferramentas que podemos utilizar durante o nosso desenvolvimento, tais como a aprendizagem e melhoramento da linguagem, a possibilidade de uma fácil memorização e ainda interage na forma de envolver comportamentos sociais e relações interpessoais. O ritmo e a letra da música despertam sentimentos que nos convidam a expressar.

Um dos principais alicerces da música é a criatividade. Ouvir música e dançar com a criança potencializa o seu desenvolvimento.

De acordo com Kokas, citado por Cruz (1995) “O canto é mais primário do que a linguagem (os primeiros sons de uma criança são mais próximos do canto do que de formas ulteriores de linguagem). É um utensílio apto a codificar e transmitir emoções, a criar relações emocionais.”

As canções tradicionais portuguesas infantis podem ser chamadas de companheiras de trabalhos e de vida do nosso povo português. Canções que retratam alegrias, dores, esperanças, incertezas, amor e fé. Exemplos como: “O nosso Galo é bom cantor”, “Olha à Bola Manel”, “Josézito”, “Na quinta do tio Manel”, músicas que nos retratam rotinas, atividades e sentimentos do povo português.

Porque recordar é viver nós relembramos junto das nossas crianças duas canções que tanto nos trazem boas recordações. Cabe a nós mantermos vivas todas estas músicas e sermos transmissores de tradições e recordações para as crianças.

Estas músicas acompanham-nos pela nossa vida, conseguem unir gerações, trazer recordações da nossa infância e criar memórias e laços com a geração futura. Por mais que estejamos numa era digital, a música vai sempre ser uma das nossas primeiras aprendizagens.

Obrigado ao Centro Social Paroquial dos Pousos, à Rita, à Margarida, à Victória e à Adriela.

Canta connosco e viaja pela tua infância e pelas tuas memórias.

Está na hora de trautearmos juntos. Preparado? 3,2,1… ouve-nos aqui.